28 de março de 2010

O livro é uma falsa-enfinge:
você o decifra
e mesmo assim
ele te devora

Um comentário:

Í.ta** disse...

ótimo!

palavras poucas por aqui.
mas cortantes.

grande abraço!