15 de agosto de 2010

querida, venha aqui um minuto

e me relembre um coisa, que sou muito desmemoriado:
fazia sol, a gente se amava ou tinha apenas uma leve neblina
naquele dia em nos que casamos?

3 comentários:

Aninha Kita disse...

Noossa, que lindo e, triste (ou não).
Parabéns, Eduardo! Cada vez mais geniais suas narrativas, mesmo quando curtinhas assim! ;D

Abraços!
Ana

Renata de Aragão Lopes disse...

Falta-lhe memória ou amor...

Lindo poema!

Beijo,
Doce de Lira

Í.ta** disse...

ah, a rotina na qual caímos =)