1 de outubro de 2011

estive lendo algumas vezes "snows of kilimanjaro", do hemingway, e agora me dei conta do quão limitada, circunscrita e' sua prosa. os protagonistas de hemingway, não todos, mas os principais> harry, santiago, ou aquele de "the sun also rises", cujo nome me foge, irmanam-se, como se múltiplas de uma unica pessoa, que e' o próprio hemingway, atormentado homem. todas as faces incomodadas com a frivolidade da vida > aqui deve-se excluir santiago?> frivolidade que a guerra parece enaltecer, mas que e' próprio do homem. todos angustiados pelo tempo perdido, mas -desiludidos- não buscam nada. reiterar, recuperar o tempo perdido? raro. Harry chega a tentar, acompanhado Helen a um safári, mas logo cai por terra. Um espinho o tira a vida, desmancha sua ideia de retorno ao tempo, 'a velha forma, algo que nitidamente seria impossível. Um espinho em um arbusto.
e' limitado, muito limitado, todavia isso não o torna repetitivo. o que ha entao de radical em hemingway, que o faz tao forte em sua limitação? A linguagem, concisa e seca, bruta como o interior de seus personagens? A simbologia de sua obra, os contos dentro dos contos? alguns falam na sinceridade da sua escrita, no fato de ele se fazer escrita, ampliar sobre diversos modos, seu modo cínico  de ver a vida. isso, aliada ao manejo perfeito dos elementos narrativos, seria a grande explicacao para sua obra tao simples e interessante. nao sei, acho isso muito redutor, mas aceito. e me sinto ta'o ignorante. 
ainda ha tempo para ler purple land? 

3 comentários:

Ph disse...

Eu particularmente não curto muito o tio ernesto, não. talvez porque eu não tenha alma de caçador, rs.
abraço

Katherine Mansfield disse...

my dear, he´s disgusting. I do not want to watch a play when I read, and that's exactly what he does. Writing is easy; to describe is our biggest challenge - he runs it. America has much better things, go for it!

kisses


K.

Regina Carvalho disse...

O grande problema, acho eu, é que a obra do Papa H. envelheceu... Também não curto mais, o que é uma pena! bj