8 de novembro de 2013


De repente é sábado de novo
e mais uma vez entre as traves me sinto obrigado a pegar todos os coices sem dar rebote
o coração virado em bichos
uma casa revirada por ladrões que nada roubam
e intrigam a polícia do acaso
novamente é sábado de noite
e deixo algo importante
por debaixo das pernas passar.
as coisas por dizer, pobrezinhas,
se deprimem e se jogam
uma a uma
da ponta da língua
as coisas por dizer
que a torcida tanto ensaiou
viram vaias
e os aplausos virados pelo avesso
se tornam tapas atirados para dentro do campo
enquanto lá vem o atacante cocô
ele que nada fez o jogo todo vem a galope
para enfiar a bola na rede
pra me enfiar no inferno me empalar na trave
me afundar nas trevas do estádio pós-jogo
me entochar um microfone pela garganta
e então pelo cu eu falo que mais uma vez não conseguimos
o resultado esperado para o sábado
e que lamento por mais uma noite de fogos e cantos em vão

Um comentário:

Beverley de Graustark disse...

dá um bom fado.

"o coração virado em bichos" é hilário quando dito em português de portugal.