14 de fevereiro de 2011

juventude

"Todos esses anos, falou ela em seguida, todos esses belos anos! Como todo aquele passado havia sido bom e justo. E os erros, todos aqueles erros: justos também. E as loucuras: quão necessárias! Ser jovem era errar, falar, agir sem pensar adiante; senão, onde ficaria o progresso? E as experiências vividas, teríamos o resto do tempo para refletir sobre elas, aprofundá-las. A vida, de qualquer modo, era longa demais para asfixiar a juventude."




Robert Walser –
In: O Ajudante. Editora Arx. (Trad. de zé pedro antunes)

4 comentários:

Ph disse...

Acredito que todos deveríamos viver a vida sempre com o espírito de juventude.
Ontem li um artigo do ítalo Calvino sobre a geração beatnik, uma geração, ao ver dele, acomodada... É isso que sinto nessa época também: todo mundo se acostumou, e é isso.
Abraço!

enzo disse...

love it!

Lívia disse...

É muito bom, vale muito a pena, minha experiência com a leitura desse livro foi incrível =)
Bom eu escrevi aquele post antes de começar a ler A montanha mágica, acho q tenho um outro personagem favorito agora! heheh

Eduardo Silveira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.