27 de março de 2011

Re:

miniiiiiiiiiiiiiiina
que loucura devia ser  para os poetas
pegando em penas pra falar de suas coisas muy dolorosas
pois agora te escrevo aqui desse tectec super confortável
e meus problemas parecem um samba de tão ritmados

amada, menina, não sei por onde

começo: cascos ou carícias?
ando seviciada
e pari uma expressão: tomar dórres: tomo altos (e fico extremamente fébria)

brincar de amar tem me cansado
fui à caça de pontes estratégicas
eis o mapa:
pular num fosso imenso até estourar a bunda no SUL

faz sol aqui embora eu não veja
este computador, sempre este sofá de minha mãe
esse cheiro de mofo nos olhos,
vou abrir as janelas
vontade de dar uma festa
simples como se faz um café
amar como quem estende uma xícara que,
na mão do amigo
se estilhaça

desisti das troças - (divertidas, mas depressivas)
ando fazendo trovas, amiga
ando fazendo chás
e às vezes canto

e falando em coral, te conto uma:

hermoso rapaz
atravessa meu coração
pra pedir água

o que disse a ele?
ORA VÁ PRA PUTA QUE TE PARIU,
vá se eunucar!
eu quero um amigo logaritmo
quero um amor sedento
pra chafurdar nesse monte de areia que sou

um amigo pra brincar de tabela periódica
que entendesse meus verbetes

AMOR: 1- O mesmo que seara 2- O mesmo que Saara 3- amor é tudo que chamamos de amor 4- Amor é tudo que se ara e fenece e os cavalinhos comem.

E eu aguento?
que amor não é coisa para se conseguir
inapontável

amor é coisa que se ganha no palato
se leva nas coxas
se mata no mar

por isso a paixão: adorável jogo de piratas

é tão bom ignorar tudo, amiga
é assim que leciono
jogada no sofá de minha mãe
colecionando cartas e pontes de todas cores e tamanhos

o que você me conta de inútil?
tens trepado, sua samambaia?

segue em anexo minha razão
te mando minhas mais gozosas vibrações
te beijo


amália

5 comentários:

Aninha Kita disse...

Depois de algumas noites de sono volto e releio, noite após noite. Para continuar decifrando.

"Bom mesmo é se encantar com aquilo que tentamos decifrar".

Beijos, beijos!
Ana

Regina Carvalho disse...

Coimaxlinda,esse menino! bj

Í.ta** disse...

essas tuas personagens que conversam conosco, leitores. maravilha!

abraços

Samia disse...

Eu gostei tanto. Acho que eu até sei qual é a voz da amália.
O ritmo está uma delícia.
Esse trecho é especial:
"amar como quem estende uma xícara que,
na mão do amigo
se estilhaça"

Até

Eduardo Silveira disse...

sabes, sim, samia! :B

valeu, pessoal