7 de setembro de 2008

Poemas Vagabundos

Estou no sofá
Escrevendo este poema
Penso que meus poemas
São feitos para os outros
(por que eu faria pra mim? Se fosse pra mim não escreveria; pensaria)
Mas os outros não os compreendem
Até os entendem,
Mas não do jeito que eu queria que fosse
Então descobri que somos todos
Poemas ambulantes
Vivemos para os outros
E nunca somos entendidos por todos
Sempre há alguém para interpretar-nos
De uma maneira errada (será errada?)
Gostando ou não de poesia,
Bruto ou sensível,
Culto ou analfabeto,
Somos todos poemas vagabundos, ambulantes
De versos livres,
Sem qualquer mote decente,
Que Deus escreve, todos os dias,Sentado no sofá de sua casa

Um comentário:

Jumbriano disse...

Legal! Sou um poema vagabundo!
Ótimo o desfecho dos seus versos, adorei a idéia também!

Continue escrevendo. Vou até conjugar no imperativo afirmativo para você não esquecer:
>>>>>> escreve tu <<<<<<
>>>>>> escreva você <<<<<<

Juliano